quinta-feira, 1 de maio de 2014

Psicodelizando com Karma, Lush


Hoje não iria sair resenha nenhuma, não estava sentindo inspiração para escrever algo digno de nota. É, sou dessas.

Conheci Karma somente hoje mas sei da sua fama a muito tempo. Categorizado como diferente e único, sempre tive curiosidade nele. Aliás, na Lush, marca de cosméticos do Reino Unido conhecida pela exuberância, minimalismo, eco-friendly e contra testes em animais. 

Novamente, quem me cedeu amostra dele foi a Cirlei Inn (obrigadíssima!!!). Já provou um perfume e após colocá-lo na pele faz esta expressão aqui?
zoinho arregalado
Classificado como cítrico aromático, compartilhável, tem as notas:
Saída: laranja, lavanda, citronela
Corpo: pinheiro, limão siciliano, cassis
fundo: patchouli, resina de abeto, elemi, canela

A historinha hoje vai ser um pouco psicodélica, já aviso.

Você está em uma competição. Campo aberto, muitos pinheiros ao redor. Pronto? É dada a largada, você corre e mergulha em uma piscina repleta daqueles limpadores de limão que utilizamos na faxina de casa. E dos bons, cheiro refrescante de lima-limão.  


Imagine se fossem menores e azuis
Sai desta piscina e ainda molhado entra em outra, mas agora transbordando de jujubas de anis, aquelas azuis.  Sai com certa dificuldade e imagina que deve estar parecido com aquele homem da capa de um dos álbuns do Pink Floyd. Mas precisa correr!


À sua frente se materializam grandes potes acrílicos repletos de sabonetes brancos. Você Agarra dois deles e se dirige para onde estão os pinheiros. Esfrega o sabonete no tronco dos mesmos. 

Terminada a tarefa, observa uma cama repleta de ervas, patchouli predominando e dando aquela aura hippie dos anos 70. Se joga nela e ali relaxa deixando-se inebriar pelos aromas à sua roda e também na situação escalafobética que acabou de passar.

Meio sem pé nem cabeça, mas ele me fez sentir assim! Um dos perfumes mais originais que já tive contato. O fato de ter me surpreendido foi que dificilmente gosto de cítricos, ainda mais com aquela pegada de pinho. Mas Karma é diferente. Estranho. Exótico. Uma viagem olfativa onde você se confunde com o próprio aroma.

Não é doce, apenas a saída me remeteu ao cheiro das jujubas de anis. Seria da mistura de suas notas, do cassis? Não sei dizer. Sua evolução é vem "pinhosa", citronela bem presente. Sinto mais limão que propriamente laranja. A canela, que normalmente gosto muito não percebi de todo, mais discreta. O patchouli cresce a cada minuto que evolui, juntando à um toque resinoso. Seu final é bem hiponga, quase dá vontade de pedir paz e amor, colocar uma boca se sino, faixa no cabelo e começar a tocar um violão em um acampamento.

Bjsss de K-Pax


Fontes: fragrantica
Fotos: google

2 comentários:

Apimente o PV, seu comentário é muito importante!