segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Mesa Redonda: qual seria o aroma do Egito Antigo?

Eis que nos reunimos para mais uma conversa e o tema incutido foi....e se voltássemos  ao antigo Egito, qual cheiro teria o perfume dessa época?




Nunca fui muito boa em história antiga apesar de gostar. Na verdade sempre fui  e continuo sendo uma esmiuçadora do corpo humano, seus processos, como funciona, tudo isso me fascina. Aliás, quando garro amor em algum assunto, sai de baixo que eu destrincho até as moléculas. Até onde consigo ir. Mas, história antiga nunca foi o meu forte apesar do fascínio que causa ao estudá-la.

Desafio dado, pensei....como seria o nosso perfume? 

É óbvio que pensamos em Egito, lembramos dela, né vero?
Liz Taylor esplendorosa como a Raínha do Egito.

Egipcios utilizavam vários ingredientes para para a perfumação dos mortos, para oferecer aos Deuses, inclusive tinham templos com laboratórios destinados á preparação de perfumes. Incensos eram queimados em oferendas às divindades. O perfume tinha um papel importantíssimo por serem muito valiosos. Sim, até naquela época já havia segregação então, só utilizavam perfumes os grandes sacerdotes e reis.

E claro, qual a personagem mais conhecida? Sim, Cleópatra, imortalizada pela belíssima Elizabeth Taylor em seu papel mais marcante. 



Sua história é repleta de recortes pois não temos certeza absoluta se era de uma beleza transcedental ou simplesmente uma mulher comum mas de grande ambição pelo poder e se utilizava de vários rituais para seduzir. Banho hidradante com leite de burra e mel, além de composições como o kyphi (que seria provalmente uma mistura de vários ingredientes como mel, passas, canela, cedro, mirra, benjoim, resinas, labdanum entre outros). Provavelmente utilizava-se de Rosas, Jasmim e Absinto.

Pois bem, um perfume a meu ver deveria ter os seguintes ingredientes: muito incenso, mirra, especiarias como canela e cravo, frutas suculentas como pêssego, flores de diversos tons desde rosas e jasmins, resinas, madeiras como sândalo e cedro, vetiver. 

Ei, espera. Mas eu conheço um perfume assim, aliás, muitas pessoas até porque este perfume marcou quando foi lançado. Eis que falo deste belo aqui:



Opium de Yves Saint Laurent

Lançado em 1977, foi o ícone dos anos 80, um oriental especiado carregadíssimo, quase assustador. Sempre o correlacionei que seria o cheiro da Raínha Cleopatra pois aquele aroma associo à aridez do deserto, o vento quente que leva o aroma de areia e feno misturados aos incensos e especiarias utilizadas na perfumação daquela época.  

Deem uma olhadinha na pequena pirâmide que o compoe: 



Notas de Saída:
Coentro, ameixa, cítricos, tangerina, pimenta preta, jasmim, cravo, Louro da Índia, bergamota

Notas de Corpo:
Flor de cravo, sândalo, patchouli, canela, raíz de Orris, pêssego, Lírio do Vale, rosa

Notas de Fundo:
Ládano, Bálsamo de Tolu, sândalo, Opoponax, almíscar, coco, baunilha, benjoim, vetiver, incenso, cedro, mirra, castoreum, âmbar


Só de ler essa pirâmide dá para imaginar a opulência desse perfume. Perfeito para a rainha das raínhas! A saída é um punch de incenso com resinas, muito cravo e canela. Imita os unguentos de beleza e que  Cleopatra fazia nos seus rituais de embelezamento onde misturava esses ingredientes com alguma gordura afim de proteger a pele do clima seco e se perfumar.


Vetiver e patchouli se misturam à abertura inicial dando aquela baforada balsâmica, como o vento quente que carrega o aroma de areia e feno.

Enfumaçado,  quase dá para sentir a fumaça do incenso impregnar o ar misturando-se à madeiras muito antigas, à tapetes empoeirados e cheios de histórias.

Misterioso, quase incógnito, seu aroma deixa um ar de misticismo, de feitiçaria, se rituais pagãos realizados em lugares escondidos. E há também um ar animálico, de pele quente, aquecida.

A cara dela, vai dizer.
Depois de muitas horas exalando como se não houvesse amanhã, deita-se sobre uma cama feita de cedro, lençóis marcados pelo aroma do corpo que nele deitava. Quente, seco, quase masculino.

Certamente, se Cleopatra tivesse um perfume seria Opium. Há nele uma androginia pois assim como sinto traços de feminilidade agressiva, o masculino se apresenta na mesma forma com a força, o ar seco, as madeiras. 

Certamente, um perfume compartilhável, homens podem e devem usar.
O que, você não o conhece???
Bora achar um frasco para descobrir os encantos e mistérios da rainha do Egito. 

Os blogs amigos falaram deste mesmo tema. Vamos enriquecer ainda mais a experiência?


Dênis no 1nariz
Mariana na Estante Perfumada
Helen no Helen Fernanda
Juliana no Le Mond est Beau
Priscila no Parfumee
Lilia no Parfuns et Poesie
Elisabeth em Perfumes Bighouse
Cassiano no Perfumart
Dâmaris no Village Beauté


Bjxxx de K-Pax


Fontes:   www.mundialnet.org, http://denisebomfim.blogspot.com.br; http://aloucadosperfumes.com; www,historianet.com.br

7 comentários:

  1. Estou surpresa como o Opium está aparecendo... eu sempre associei mais com o oriente distante - China, Japão. Ótima lembrança! A "Cléo" está arrasando, hein? Pelo que eu estudei sobre ela, Cleópatra não era bonita (inclusive cogita-se que era careca, para revezar suas perucas), mas tinha muito "feitiço", se banhava e se perfumava para seduzir. Acho que ela iria de Opium sem pensar duas vezes! Beijão Carla!!

    ResponderExcluir
  2. E olha só o Opium de novo! Não é que o pessoal associou essa riqueza a um perfume faraônico! Sou obrigada a concordar. Ele é tão lindo e intenso, carrega uma profusão de elementos tão bem "amarrados" que chega a ser difícil encontrar não só hoje em dia mas na própria história da perfumaria mesmo. Ele é único e não é a toa que é esse clássico de sucesso absoluto. Muito bom!
    bjus
    Li

    ResponderExcluir
  3. Gente, estava completamente sem inspiração e só lembrei dele! Mas é um perfumaço, é

    ResponderExcluir
  4. Fato Carla, Opium veste bem a Rainha das Rainhas! Misteriosa e fascinante Cleopatra!

    ResponderExcluir
  5. Opium querido provocador de fantasias egípcias! Ei-lo aqui nos escritos da gauchinha, e concordo plenamente. Ainda preciso conhecer a versão masculina, que dizem ser (um leitor fez review lá no VB) tbém rica, mas a versão feminina é arte e convidativa.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Cleópatra é e sempre será o símbolo máximo da sedução oriental e lembrada pela sua admiração em relação aos cosméticos e óleos aromáticos. Sabia das coisas.
    Flor, esqueceu de mim neste mês...tomo a liberdade de deixar o link..http://www.perfumebighouse.com/2014/09/viajando-no-tempo-tavola-vi.html. beijocas de Elisabeth

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mon Dieu, puxão na orelha! Perdão Beth, corrigido!

      Excluir

Apimente o PV, seu comentário é muito importante!